Inscrições abertas para premiação internacional de livros de imagens

Ilustração de Anabella López, autora da identidade visual do Filig 2017

O 7º Edelvives International Picture Book Award abriu as inscrições para todos os escritores e ilustradores ao redor do mundo. Os projetos inscritos devem ser de “picture books” (livros de imagens), ou seja, obras em que as historias sejam contadas por imagens e os textos apenas complementem os componentes gráficos.

As obras podem ser submetidas em espanhol, inglês ou francês e devem ser inéditas, ainda em fase de projeto editorial. As inscrições vão até 20 de Dezembro e são realizadas mediante o envio do projeto e da documentação necessária para o endereço: Edelvives (Premio Álbum Ilustrado) Xaudaró, 25 – 28034 Madrid. A premiação é de até 9 mil euros. Para mais informações, acesse: https://goo.gl/8cCfWk.

Imagens Narrativas em Garanhuns

Outra oportunidade para quem é escritor, ilustrador ou artista visual, é a terceira edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig), que este ano traz o tema “Nas Entrelinhas das Imagens Narrativas”.

O Festival acontece de 5 a 8 de outubro, com oficinas, palestras, formações, apresentações culturais e muito mais. Nesta edição, o Filig também será dedicado aos livros de imagens. O Festival é uma produção da Proa Cultural, com patrocínio da Ferreira Costa e apoio do Sesc, da Prefeitura e da Secretaria de Educação de Garanhuns.

Terceira edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (FILIG) integra programação do FIG 2017

Ação do FILIG 2015

O evento, com programação até o final do ano, tem como temática nesta edição livros ilustrados 

O Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (FILIG) chega à sua terceira edição com atividades que se iniciam neste mês e seguem até novembro. Com o tema “Nas Entrelinhas das Imagens Narrativas”, numa referência aos livros que constroem suas histórias através de ilustrações, este ano o FILIG passa a integrar a programação do maior festival de cultura de Pernambuco: O FIG, no Agreste do Estado, que acontece entre os dias 20 e 29 de julho. Ao longo do festival, as ações do FILIG ficarão concentradas na Praça da Palavra e irá homenagear a escritora e ilustradora Rosinha.

A autora pernambucana já participou do segundo FILIG e retorna ao festival para contar sua experiência e trajetória na literatura infantil, com destaque para a trilogia ContoImagem (Callis Editora, 2015), na qual recria os clássicos Os Três PorquinhosChapeuzinho Vermelho e João e Maria utilizando exclusivamente a narrativa visual. A partir da inspiração desses livros e com o suporte da autora, doze crianças de 8 a 12 anos serão incentivadas a criar seus próprios livros de imagens. Haverá, ainda, uma mediação de leitura sobre a obra de Rosinha guiada por Yalle Feitosa.

O FILIG vai arrecadar com a população e público do FIG livros de literatura infantil para o projeto Geladeiras Literárias, uma iniciativa em parceria com o Sesc Garanhuns. Este projeto será lançado no FILIG, em outubro, e vai transformar geladeiras inutilizadas em bibliotecas móveis distribuídas em locais de grande circulação da cidade, estimulando a leitura e a troca de livros. As pessoas podem levar livros para crianças, de 0 a 12 anos, à Praça da Palavra durante todo o FIG.

O FILIG é um projeto patrocinado pela Ferreira Costa, tem produção executiva da Proa Marketing Cultural e Projetos, e conta com o apoio do Sesc e da Secretaria de Educação de Garanhuns. “Estamos muito felizes em comunicar a 3a edição do FILIG em um evento cultural tão importante e já consolidado”, afirma Camila Bandeira, sócia fundadora da Proa. “Esperamos com nossas ações convocar o público, crianças e adultos, a viajar mais uma vez no universo da literatura infantil, desta vez de forma ainda mais lúdica por conta do tema que exalta os livros de imagem e a infinidade de interpretações que trazem seus traços e cores.”, diz Camila.

 

Programação FILIG no FIG: 

Quinta, 27/07 

15:00h – Conversa com a Autora Rosinha (escritora e ilustradora), na Praça da Palavra

Sexta, 28/07 

09:00h às 11:00h – Vivência de Ilustração para Crianças de 8 a 12 anos com Rosinha (escritora e ilustradora), na Praça da Palavra. 12 vagas preenchidas por ordem de chegada.

15:00h – Mediação de Leitura sobre a obra de Rosinha (escritora e ilustradora), na Praça da Palavra

 

Jovens participantes do H2O Cine Recife têm filmes exibidos na França

Entre agosto e setembro de 2016, a Proa Cultural realizou, em parceria com o Ateliers Varan e o Porto Mídia, a oficina de documentário H2O Cine Recife. Entre os dez curtas produzidos, três foram selecionados e exibidos no 16º Festival Internacional de Filme Documentário de Cévennes em maio deste ano.

O Festival acontece no Sul da França e é um lugar de encontros, intervenções e debates entre diretores, jornalistas, produtores e público de todo o mundo. A cada ano, mais de cinquenta filmes são selecionados na produção mundial para serem exibidos no DOC-Cévennes. “Daqui não saio” de Isabelle Ribeiro, “Cidade Delírio” de Juliana Gleymir e “Dibuiar” de Thor Neukranz foram os curtas-metragens produzidos na H2O Cine Recife e representantes do Brasil no Festival.

“A experiência no DOC-Cévennes foi fascinante, extraordinária, superando toda e qualquer expectativa. O Festival é um evento sem fins lucrativos, as pessoas que estavam lá não estão por dinheiro, mas por amor ao cinema, isso muda tudo.”, conta o jovem realizador Thor, que vai ter seu curta exibido em mais dois festivais na França até o fim do ano. E acrescenta: “Só tenho a agradecer quem acreditou no meu talento e, direta ou indiretamente, me fez alcançar todos os meus objetivos naquele momento. Apesar de tudo isso não estou saciado. Quero voar mais alto, mas sem tirar os pés do chão.”

Navega Nessa | Filme Simbiose é selecionado para o Cine Ceará

A parteira Dona Prazeres em “Simbiose”. Foto: Maria Chaves

 

 

 

 

 

 

 

 

Simbiose, documentário em curta-metragem de Júlia Morim, é o único pernambucano selecionado para o 27° Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema. A lista, divulgada na última segunda-feira (26), dos filmes selecionados para as mostras competitivas ibero-americanas e brasileira de curta-metragem, que acontece de 5 a 11 de agosto, em Fortaleza. Simbiose, da pernambucana Julia Morim, foi escolhido dentre mais de mil inscritos, dos quais 260 longas de 17 países e 853 curtas de 25 estados do Brasil. Na edição 2017 do festival, participam sete longas e 14 curtas.

O curta-metragem está também selecionado para a Mostra Audiovisual do 13th Women´s Worlds Congress e Seminário Internacional Fazendo Gênero 11, e será exibido no dia 02 de agosto em Florianópolis.

Sinopse

Simbiose é um documentário que trata da história de Maria dos Prazeres de Souza, conhecida como Dona Prazeres, parteira tradicional, cuja trajetória de saberes é uma “simbiose”, como ela sempre diz, entre o tradicional e o contemporâneo, entre o popular e o biomédico. D. Prazeres transita entre mundos e realidades contrastantes e assim mantém uma constante incorporação e construção de saberes. Moradora do município de Jaboatão dos Guararapes, vive em um contexto no qual o urbano e o rural, as praias e os engenhos, os prédios e as casas, as paisagens e os universos são antagônicos e complementares.

D. Prazeres atende a chamados de mulheres simples de sua comunidade e também auxilia partos de mulheres de classe média da Região Metropolitana que escolhem parir livres das intervenções hospitalares. Presidente da Associação de Parteiras Tradicionais e Hospitalares de Jaboatão dos Guararapes une saberes e congrega muitas outras mulheres que, como ela, sabem da “arte de botar gente no mundo”.​

 

 

O sucesso de uma marinheira de primeira viagem

Júlia atua nas áreas de antropologia da saúde, patrimônio e memória, com interesse nos estudos sobre o ciclo reprodutivo, em especial sobre parto e nascimento como eventos culturais. A sua relação com as parteiras tradicionais vem de sua primeira gestação, quando conheceu Dona Prazeres, personagem principal do filme. É também pesquisadora do Grupo de Pesquisa Narrativas do Nascer (DAM/UFPE) e integra a equipe que vem desenvolvendo o projeto “Museu da Parteira”, um museu em processo. Assim nasceu “Simbiose”, que é sua primeira viagem em mares do audiovisual. Apesar de nunca ter se imaginado como diretora de um filme, uniu-se com parceiros criativos para dar vida a mais esse desdobramento da pesquisa da qual faz parte. O documentário tem direção de fotografia de Marcelo Lacerda e Marco Antônio Duarte; Conta com a colaboração de Mariana Lacerda, cineasta que dirigiu os documentários Menino-aranha (2008), Pausas silenciosas(2013) e Baleia Magic Park (2015), entre outros, no roteiro; e a produção é dividida com Maria Chaves, parceira de Júlia na elaboração da pesquisa biográfica Eu Acho é Pouco – Como o Carnaval se vestiu de vermelho e amarelo. Para saber mais sobre o documentário e as experiências durante sua produção, confira a matéria da Revista Continente.

 

 

 

 

 

 

Proa Cultural é destaque na revista Informe Fecomércio

Na edição 26 da revista Informe Fecomércio, confira uma interessante reportagem que aborda o crescimento da indústria cultural em Pernambuco.  A matéria de capa mostra o despertar da economia cultural e como o investimento em cultura tem sido cada vez mais frequente nas empresas de diferentes ramos, profissionalizando o setor e tornando a economia cultural mais eficiente. Na reportagem, Camila Bandeira, sócia-diretora da Proa, explica como esse processo acontece, citando o exemplo da Filig, Feira Internacional de Literatura de Garanhuns, projeto desenvolvido e realizado pela Proa para o Grupo Ferreira Costa.

Para saber mais sobre a Filig, acesse o nosso portfólio. Já para conferir a matéria na íntegra, basta clicar aqui.

Fala, tripulante! – Maria Chaves

Em nossa seção “Fala, tripulante!”, convidamos alguns integrantes da nossa tripulação para explicar um pouco sobre como é navegar na Proa Cultural. Dando início ao nosso quadro, confira o depoimento da capitã e sócia-diretora da Proa, Maria Chaves.

Maria, qual é a sua função na Proa e desde quando tornou-se tripulante?

Sou sócia-diretora e atuo na Proa há 1 ano.

O que você faz na empresa? Qual é a sua rotina de atividades?

Sou responsável mais diretamente pela parte de criação e produção, transformando ideias criativas em projetos.

O que mais gosta em trabalhar na Proa?

Ter uma experiência inusitada a cada projeto. Tanto faz um dia coordenar um evento de Games, como no outro desenvolver uma ideia de formação em audiovisual, ou ainda executar um projeto de Música.

Qual é o diferencial que você enxerga na empresa?

A Tripulação tem sensibilidade e expertise para fazer a ponte entre criativos e investidores a fim de gerar negócios sustentáveis. Para isso, é preciso um equilíbrio e respeito tanto pelo aspecto cultural e o processo criativo, quanto pelas estratégias de comunicação da empresa.

Em sua visão, a Proa é uma empresa cheia de…

…Criatividade, ideias inovadoras, ações efetivas de comunicação e marketing, experiências positivas com as marcas, projetos artísticos irreverentes.

Por que mais empresas deveriam conhecer o trabalho realizado pela Proa?

Para seguir a tendência de uma estratégia de comunicação mais efetiva num mundo em que a economia criativa está em franca expansão, gerando cada vez mais emprego e renda, e ajudando a tornar sustentáveis os negócios na Cultura.

Com Proa, você já aprendeu algo novo?

Que é possível fazer algo irreverente e sério, descontraído, mas eficiente, sensível mas com grande impacto na sociedade. Em resumo: aprendi com a Proa o sonho de fazer negócios para viabilizar projetos em cultura e transformar a sociedade.

“Exposição 1817”: Navega nessa!

Para quem gosta de fazer viagens interessantes pela história do Brasil, uma ótima oportunidade está em cartaz no Recife. A exposição “1817 – Revolução Republicana” celebra o bicentário da revolução instaurada em Pernambuco e traz diversas obras de arte da época para contemplação do público. Exibida no Museu da Cidade do Recife, a exposição contém vídeos, manuscritos, desenhos, armas e muitos outros artefatos que encontram-se divididos em cinco eixos.

No primeiro deles, os visitantes são convidados a conferir os ideais que moveram a rebelião acontecida há 200 anos na sala “Revolução”. Textos e imagens históricas mostram o cenário que fez ebulirem os ideias de mudança. No segundo eixo, o público conhece o Recife do início do século XIX, com desenhos que mostram como era a vida na então chamada Vila de Santo Antônio do Recife de Pernambuco. Intitulado “Dezessete”, o terceiro eixo traz documentos, arquivos e objetos históricos do período, dentre eles, a espada do Leão Coroado. O quarto eixo mostra os locais mais afetados pelo movimento na sala “Cidade Memória”. Para fechar, o quinto e último eixo é interativo e mostra o principal símbolo da tentativa de instauração de uma república: a bandeira. A entrada na exposição é gratuita e a visitação pode ser feita de terça a domingo, das 9h às 17h.

Proa Cultural navega no mundo dos games

No mês de abril, aconteceu no Recife a decisão do 1° Split do Campeonato Brasileiro de League of Lengeds (CBLoL). Com três mil ingressos vendidos em menos de 40 minutos, o evento comprova o enorme sucesso do jogo, que é conhecido mundialmente na categoria dos chamados e-sports. Antenada também no mundo da tecnologia e dos games, a Proa participou da produção do evento, coordenando parte das atividades de produção ao lado da agência Banco de Eventos. O espaço interno do Classic Hall contou com uma super estrutura, que levou aproximadamente uma semana para ser produzida. Maria Chaves, capitã e sócia-diretora da Proa, explica que a empresa está sempre aberta a desbravar novos mares e se manter atualizada. “Trabalhar na produção da CbLoL foi uma excelente oportunidade de ‘se aproximar’ ainda mais do universo dos games”, explica.

Foto: https://www.flickr.com/photos/riotgamesbrasil/33103499363/in/album-72157679092334403/

Nossa capitã Maria Chaves no último dia do Formule

Maria Chaves fala na terceira etapa do formule sobre Economia Criativa e empreendedorismo.

Acontece nesta terça-feira (02) na última etapa do Formule. A série de palestras vêm abordando através do tema da Economia Criativa os desafios encontrados pelos empreendedores criativos. Questões ligadas ao setor, posturas adotadas na abordagem de negócios, gestão e inovação. Cada encontro abordou uma temática específica, que nesta terceira e final etapa será Direito e Criatividade.
O evento que tem por objetivo fomentar a discussão para provocar novas conexões e ideias criativas nas múltiplas cadeias da área criativa, terá como uma de suas palestrantes nossa capitã Maria Chaves, formada em Comunicação Social com especialização em Economia da Cultura, para falar sobre sua experiência no empreendedorismo em Economia Criativa, além de sua vasta experiência em produções culturais.

O evento acontecerá no MAMAM (Museu de Arte Moderna Aluízio Magalhães) às 14h. A entrada é gratuita e aberta ao público em geral. Inscreva-se.

Fotolivros – criação e produção de publicações

fotolivros-base-cartaz-armazem-02-2178Curso de criação de fotolivros compartilha conhecimentos sobre produção gráfica no Armazém da Criatividade, em Caruaru.

Estão abertas as inscrições para o curso Fotolivros que será realizado no Armazém da Criatividade, em Caruaru, de 11 a 13 de novembro de 2016. A oficina é aberta a fotógrafos, artistas visuais, comunicadores, designers, ilustradores, profissionais do setor gráfico e qualquer profissional que tenha a imagem ou a produção gráfica como meio de pesquisa e/ou trabalho.

Podem participar moradores de Caruaru e das demais cidades da região Agreste e interessados de outras regiões. O objetivo é apresentar aos participantes o contexto de criação e produção de fotolivros e fotozines, que tem sido responsável por uma mudança sensível no cenário do mercado editorial da fotografia. O curso promoverá atividades teóricas e práticas com o intuito de compartilhar saberes e promover uma experimentação prática para produção de um fotozine.

Para se inscrever, o interessado deve preencher o formulário no link http://tinyurl.com/fotolivrosarmazem 

O curso tem 20 vagas e o de investimento de R$200,00 (duzentos reais). Ele será ministrado pela fotógrafa Ana Lira, da Retratografia, com monitoria de Fernanda Paixão e Ubira Machado. O curso é realizado com incentivo do Armazém da Criatividade, do Porto Digital e produção da Proa Cultural.

SERVIÇO

Curso Fotolivros: criação e produção de publicações

Quando: De 11 a 13 de Novembro de 2016

Horário: Sexta das 18h às 22h / Sábado e domingo das 9h às 18h

Local: Armazém da Criatividade, Caruaru – BR 104, Km 62, Nova Caruaru

Inscrições: http://tinyurl.com/fotolivrosarmazem

MAIS INFORMAÇÕES

Joana Mendonça ou Maria Chaves | Proa Cultural

(81) 3419.8070

Ana Lira | Retratografia

(81)99626.3180