II Festival Transborda de Cultura sem Gênero acontece no Recife em abril

A programação conta com mostra teatral, mostra de dança, shows musicais, performances, mesas de diálogo, oficinas, exposição de artes integradas e festas

O Festival Transborda de Cultura sem Gênero chega ao Recife para sua segunda edição, entre os dias 02 e 21 de abril. A iniciativa tem como propósito gerar conexão, integração, acolhimento e empoderamento de projetos culturais que discutem gênero e suas diversidades, sexualidades, protagonismo feminino e transcidadania.

A edição Trópico-Recifense toma lugar em equipamentos culturais do estado, como o Teatro do Arraial Ariano Suassuna e Torre Malakoff, e espaços parceiros, a exemplo do Sexto Andar (Edf. Pernambuco), da Galeria Joana D’arc e do espaço Apolo 235 (Portomídia).

O Festival é idealizado por Rhommel Bezerra, Diretor do Grupo Itinerante de Teatro da Cidade do Rio de Janeiro, envolvido desde 2010 em projetos que abordam a diversidade e inclusão social. A primeira edição do Transborda aconteceu em 2016, na capital paulista, e concorreu ao prêmio de melhor festival LGBTQ+ do Guia Gay São Paulo.

Este ano, o projeto conta com uma programação multilinguagem, que inclui: mostra teatral, mostra de dança, shows musicais, performances, mesas de diálogo, oficinas, exposição de artes integradas e festas. São 22 artistas e grupos brasileiros convidados, entre eles o Grupo Itinerante, Grupo Cênico Calabouço, DIG d’Improvizzo Gang, Coletivo Rua das Vadias, Trupe Ensaia Aqui e Acolá, S.E.M. Cia de Teatro, Grupo Corpore de Dança, Aninha Martins e Não Recomendados – padrinho do Festival, que encerra a programação com um show na edição especial da festa Odara Ôdesce.

Sophia William, Marcionilo Pedrosa, Aurora Jamelo e Rhommel Bezerra, Curadores do Festival Transborda | Foto: Rayanne Morais

A curadoria desta edição é assinada pelas atrizes Aurora Jamelo e Sophia William, que fazem parte do DIG d’Improvizzo Gang, além de Marcionilo Pedrosa e do próprio idealizador, Rhommel Bezerra – ambos integrantes do Grupo Itinerante. “O Transborda é um ato político, de resistência artística! Quando recebi o convite para fazer parte da equipe, me preocupei em dar voz para artistas que não têm espaço. O Festival, principalmente este ano, carrega consigo uma bandeira que celebra o orgulho que cada um deve sentir da sua identidade”, afirma Marcionilo. A proposta do grupo é de uma programação diversificada, com intercâmbio de artistas e aprofundamento em uma ampla perspectiva da temática do Festival. “Como curadora artística, pensar nas pessoas que vão integrar a luta do projeto é ter voz para dar voz a quem eu sei que também quer falar. Transbordar é ir além da borda, causar esse furdunço que as pessoas precisam saber que existe”, diz Aurora.

Sophia, que também faz parte da equipe, lembra da importância de unir forças para dar potência às reivindicações e alcançar resultados concretos: “ser mulher, trans e negra me faz entender que carrego em mim várias vozes, e que uma não cala a outra. Estar à frente de um Festival com uma força tão grande, ao lado de pessoas com lutas diferentes, mas com um único propósito, me faz ver que juntas podemos gritar mais alto e nos fazer ouvir”. Sobre o foco da iniciativa na representatividade trans, a atriz argumenta: “não podemos nos abster ou nos segregar só porque, superficialmente, a luta da outra não parece com a nossa. Só estaremos ‘livres’ quando todas tiverem respeito, seus direitos conquistados e sua fala ouvida”.

Outro objetivo do projeto é a popularização da cultura e diversificação do público consumidor de arte. Por isso, as oficinas e exposições têm entrada franca e os ingressos das apresentações serão vendidos a preços populares, a partir de R$ 15. O Festival também vai disponibilizar a meia entrada social, com doação de 1kg de alimento não perecível. Todas as doações serão destinadas ao GTP+ (Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo), que desde 2002 realiza ações voltadas à população de profissionais do sexo, buscando fortalecer a auto estima, cidadania, empoderamento e postura de protagonismo social. Transexuais têm acesso livre a toda programação, mediante a capacidade de lotação dos espaços.

A II edição do Festival Transborda de Cultura sem Gênero é um projeto do Grupo Itinerante de Teatro, da Fora da Chuva Produções Culturais e da Proa Marketing Cultural e Projetos, com apoio do Governo do Estado de Pernambuco, através da Secult-PE|Fundarpe, e do Portomídia.

 

SERVIÇO:

II EDIÇÃO – FESTIVAL TRANSBORDA DE CULTURA SEM GÊNERO

 

02/04 – Abertura do Festival

19h00 

– Mesa: “Visibilidade e Representatividade Trans na Cena e Transcidadania”

com: Anne Celestino (PE)

Aurora Jamelo (PE)

Dante Olivier (PE)

Tanit Rodrigues (PE)

Carlota Pereira (PE)

-Exibição do episódio piloto da série “Mulher Original” (Carlota Pereira | PE)

LOCAL: Galeria de Artes Digitais –  Portomídia | ENTRADA FRANCA

 

03/04
18h

– Cárcere (Grupo Corpore de Dança | PE)

LOCAL: Teatro do Arraial Ariano Suassuna | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

20h

– Bergamota (Grupo Itinerante de Teatro | RJ)

LOCAL: Teatro do Arraial Ariano Suassuna | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

04/04

20h

– Bergamota (Grupo Itinerante de Teatro | RJ)

LOCAL: Teatro do Arraial Ariano Suassuna | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

07 e 14/04

20h

– Menina Bruno (Grupo Itinerante de Teatro | RJ)

LOCAL: Teatro Valdemar de Oliveira | INTEIRA R$ 40 / MEIA R$ 20

 

06 a 21/04

– Exposição de artes integradas: SERQUERERDIZER

Com: Brenda Bazante – Galhos (PE)

Júnior Foster – Techno Abismo (PE)

Aurora Jamelo – Qual a cor da tua alma? (PE)

Alexandre Sócrates – Gênero e Cultura Queer (PE)

Guilhermina Velicastelo – Transexualidade, Transfobia e Disforia de Gênero (PE)

LOCAL: Torre Malakoff | ENTRADA FRANCA

 

09/04

14h

– Oficina de dramaturgia: Diálogos sobre sexualidade.

Com: Rhommel Bezerra

LOCAL: Design Center –  Portomídia | ENTRADA FRANCA

 

11/04

19h

– St Genet e As Flores Da Argélia (Grupo Cênico Calabouço | PE)

LOCAL: Teatro do Arraial Ariano Suassuna | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

12/04

19H

FESTA: Galeria Joana D’arc Transborda

Com: Allana Marques e Lala (Odara)

Tanit Rodrigues

Performances: Água Dura (Marcela Aragão e Rebeca Gondim | PE)

Machuca (Trupe Ensaia Aqui e Acolá | PE)

Como é que foi? (Edson Vogue | PE)

LOCAL: Galeria Joana D’arc | ENTRADA FRANCA

 

19H

– Katastrophè (DIG d’Improvizzo Gang | PE)

LOCAL: Teatro do Arraial Ariano Suassuna | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

13/04

 19h

– Ela x Ele Na Cidade Sem Fim (Grupo Itinerante de Teatro | RJ)

– Performance: Aninha Martins (PE)

LOCAL: Sexto Andar | INTEIRA R$ 40 / MEIA R$ 20

 

16/04

13h

– Oficina de Vogue

Com: Edson Vogue

LOCAL: Casa da Cultura | ENTRADA FRANCA

 

14h

– Mesa: “Moda e Gênero”

com: André Aguiar (PE)

Aurora Jamelo (PE)

Djalma Rabelo (PE)

LOCAL: Design Center –  Portomídia | ENTRADA FRANCA

 

17/04

13h

– Oficina de Stiletto

Com: Sophia William 

LOCAL: Casa da Cultura | ENTRADA FRANCA

 

18/04

14h

– Performance de abertura: Terezinha (Rebeca Gondim |PE)

– Mesa: “O Feminino em Cena” (protagonismo feminino)

com: Lili Rocha

Pollyanna Monteiro

Rebeca Gondim

LOCAL: Design Center –  Portomídia | ENTRADA FRANCA

 

19/04

14h

– Mesa: “Gênero e sua diversidade, Sexualidade e Educação”

com: Brenda Bazante

George de Melo

Dayvi Santos

LOCAL: EREM Escola Sizenando Silveira | ENTRADA FRANCA

 

20/04

19h

– Trans(passar) (Sophia William | PE)

– Comum de Dois (Grupo Itinerante de Teatro | RJ)

LOCAL: Sexto Andar | ENTRADA FRANCA

 

19h

– A Mulher Monstro (S.E.M. Cia de Teatro | RN)

LOCAL: O Poste | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

21/04

 17h

– Odara Ôdesce no Transborda com Não Recomendados (SP)

– Performance: Jorge Kildere (PE)

LOCAL: Torre Malakof | ENTRADA FRANCA

 

19h

– A Mulher Monstro (S.E.M. Cia de Teatro | RN)

LOCAL: O Poste | INTEIRA R$ 30 / MEIA R$ 15

 

ACESSE:

www.facebook.com/artealemdosgeneros

www.instagram.com/transbordaculturasemgenero