Como superar a incerteza econômica nos negócios criativos?

Encontro transmitido pelo SEBRAE e PORTO DIGITAL, na sexta-feira 31 de julho, às 17h do Brasil, reuniu experts da Economia e Empreendedorismo Criativo e Cultural para dialogar sobre sustentabilidade econômica. Na ocasião, foi lançada a versão brasileira do livro “DIVERSIFICAR – Múltiplas Geração de Receitas para Criadores”, do autor chileno Alex Paredes Lazo.

Mais de 10 milhões de criativos na América Latina enfrentam, nestes últimos meses, incertezas econômicas mediante as transformações causadas pela pandemia. O setor do mercado musical brasileiro, por exemplo, sofreu um impacto de mais de 400 milhões de reais, resultado do cancelamento de mais de 8 mil eventos, afetando uma média de 1.300 empresas do setor. Em países como o Chile, o setor musical declarou que, em média, cada artista foi obrigado a cancelar entre 6 e 8 eventos, gerando uma queda de 40% da receita destes profissionais. O fechamento de bares, restaurantes, casas de shows, salas de cinema, praças públicas, entre outros espaços que demandam o contato com públicos, são alguns dos principais motivos da preocupação generalizada da classe criativa.

Algumas iniciativas como lançamentos virtuais, conteúdo para redes sociais e resgate de material de arquivo são estratégias que o setor vem recorrendo para manter o protagonismo diante de uma ‘nova normalidade’. Porém, garantir receita e sustentabilidade econômica permanente é uma provocação importante que foi debatida no evento “DIVERSIFICAR – Como ser autossustentável em negócios criativos?”, realizado na sexta-feira, 31 de julho, com a participação de gestores e empreendedores que levam anos de experiências no setor.

O evento foi transmitido nas plataformas virtuais do SEBRAE e do PORTO DIGITAL, e teve como missão ampliar o debate para que profissionais independentes e empresários do setor artístico, cultural e criativo possam encontrar ânimo em manter seus negócios.

“O setor criativo e cultural se vê bastante impactado, mas estamos aqui para instigar
formas de seguir adiante”, explicou uma das organizadoras do evento, Camila Bandeira,
que é fundadora da Proa Marketing Cultural, primeira empresa de economia criativa
embarcada no Porto Digital.

“Para isso vamos contar com a participação de importantes gestoras e gestores que
há anos trabalham no desenvolvimento da economia criativa em vários países da
América Latina, e possibilitar o acesso ao livro “DIVERSIFICAR – Múltiplas Geração de Receitas
para Criadores“, que o chileno Alex Paredes Lazo traz com exclusividade em versão
português”, complementa Camila.

Alex Paredes é parceiro da Proa e vem representando países como Chile, México e Colômbia no fortalecimento do empreendedorismo criativo na região. Ele é assessor internacional para organizações como o PNUD, BID, Ministérios de Cultura e várias universidades latinoamericanas e, como autor do livro DIVERSIFICAR, apresenta uma estratégia na geração de múltiplas receitas para criadores e negócios criativos e culturais.

“O livro é um guia para a construção da autossustentabilidade de artistas, gestores
criativos e produtores culturais que necessitam monetizar seus produtos e serviços”,
afirma o autor. A edição original em espanhol, lançado no Chile há pouco mais de 2 meses,
atingiu mil downloads em 25 países nas Américas e na Europa e chega ao Brasil em
formato digital no link www.livrodiversificar.com.

Também esteve presente no debate uma das personalidades mais emblemáticas do setor criativo no Brasil, prêmio Jabuti de Economia e doutora em Urbanismo pela USP, Ana Carla Fonseca, hoje diretora da Garimpo de Soluções, empresa pioneira na atuação em economia criativa, cultura e desenvolvimento territorial atuante em 32 países e responsável por vários planos de economia criativa no Brasil e no exterior.

Somaram-se ao time de convidados Chico Saboya, Superintendente do SEBRAE Pernambuco e presidente da Associação Nacional de Empreendimentos Inovadores e ex-presidente do Porto Digital por 11 anos; Guila Calheiros, Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação da Prefeitura do Recife. Felipe Almeida, sócio fundador da Mr. Plot – estúdio criador do Mundo Bita.

Inspirada no evento, a TV Diário publicou matéria sobre como a Economia Criativa é um caminho promissor para driblar a crise, no vídeo abaixo.

 

#EconomiaCriativa #EmpreendedorismoCriativo #IndústriaCultural #IndústriaCriativa